Atual vice-governadora de Mato Grosso do Sul, Rose Modesto (PSDB) ruma para a quarta eleição consecutiva de sua ainda curta, mas meteórica,  carreira política, que teve início na eleição de 2012. Ela tenta ser deputada federal, depois de se eleger vereadora (2012), vice-governadora (2014) e de concorrer à prefeitura de Campo Grande (2016), tendo chegado ao segundo turno, quando acabou perdendo o pleito para o atual prefeito Marquinhos Trad (PSD).

Com esse cacife, ela visitou a redação de Impacto na última quinta-feira, ocasião em que comentou sobre como anda a sua candidatura a deputada federal e os seus planos para representar Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional. A candidata Rose Modesto foi a entrevistada do radialista Eli Sousa, na Rádio Diamante FM, no programa “A Bronca do Eli”.

Rose Modesto iniciou a entrevista lembrando sua origem de família humilde e de pessoa que sempre estudou em escolas públicas. “Sou de família humilde e sei como é difícil a vida. Estudei em escolas públicas boas e tive uma grande oportunidade na vida que foi ingressar na Guarda Mirim e entrar cedo para o mercado de trabalho. Este foi um grande passo que me ajudou muito no começo” comenta.

Rose Modesto afirma que a vontade de ajudar Mato Grosso do Sul continua. “Quero representar Mato Grosso do Sul na Câmara federal. Fizemos muita coisa pelo Estado em pouco mais de três anos. Como vereadora existem mais de 100 leis de minha autoria, sou ficha limpa e não existe crime em meu nome. Agora quero representar o meu MS em Brasília”, afirma.

Ao ser questionada sobre o atual governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), a vice-governadora afirmou que o governador assumiu o Estado em um momento difícil. “O governador Reinaldo Azambuja assumiu Mato Grosso do Sul no momento mais difícil que podia existir e mesmo assim fez muita coisa para a população. Enfrentamos crises de chuva e auxiliamos as cidades que mais sofreram. Durante esses anos, por quatro vezes eu assumi a governadoria e também cumpri meu papel ajudando o Mato Grosso do Sul em seus mais difíceis momentos”, disse.

“Hoje pessoas que estavam na fila há meses por uma cirurgia conseguiram realiza-la, graças a Caravana da Saúde. Ajudei Mato Grosso do Sul, tive um olhar de mulher e sempre tive o apoio do governador Reinaldo Azambuja para expor minhas ideias. Quero continuar trabalhando para o Estado e representar a população em Brasília”, finaliza a candidata a deputada federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here