Os parlamentares da Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul vão emitir Moção de Congratulação ao presidente do Dakila Pesquisas, Urandir Fernandes de Oliveira, pela notoriedade dos serviços prestados pela associação ao Estado do Mato Grosso do Sul e ao Brasil, na próxima terça-feira (2), às 9h, no Plenário Deputado Júlio Maia. A moção, proposta pelo deputado Paulo Siufi (MDB) com o apoio do presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi (MDB), foi aprovada pelos 24 membros da assembleia.

“Estamos muito felizes, pois esta homenagem simboliza o reconhecimento aos esforços de todos os associados do Dakila Pesquisas, que ao longo de mais de vinte anos vêm contribuindo para o desenvolvimento do Estado do Mato Grosso do Sul, do Brasil e de toda a humanidade”, afirma Urandir Fernandes de Oliveira.

Fundado em 1997, o Dakila Pesquisas já atraiu mais de 700 mil visitantes, destes cerca de 500 mil são sócios flutuantes e 4.500 sócios fixos/residentes. Com sede no município de Corguinho (MS), a associação possui núcleos em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Vitória (ES), Natal (RN), Fortaleza (CE), Foz do Iguaçu (PR) e Salvador (BA). No exterior está presente no Paraguai, Bolívia, Chile, Argentina, Espanha, França, Alemanha, Japão e Estados Unidos.

Sem fins lucrativos, o Dakila Pesquisas tem por finalidade promover o desenvolvimento econômico e social, visando o combate à pobreza e a miséria; realizar estudos e pesquisas, produzindo e divulgando conhecimentos técnicos e científicos, além de desenvolver tecnologias alternativas, entre outras ações.

A sede da associação em Corguinho compreende o complexo turístico Recanto de Havallon, a cidade de Zigurats e o observatório astronômico do Centro Tecnológico Zigurats (CTZ). “Toda movimentação nestes locais fomentou o aquecimento da economia gerando cerca de 350 empregos diretos e indiretos nos municípios de Corguinho, Rochedo, Terenos e em toda a região de Boa Sorte. Em Campo Grande, houve forte aumento no fluxo de pessoas no aeroporto e rodoviária, além de hotéis, mercados, restaurantes, e no segmento de transporte, como táxi, Uber, aluguel de carro e van”, explica Urandir.

Como ação de responsabilidade social, o Dakila Pesquisas contribui para o desenvolvimento da região construindo ou reformando estradas, pontes, entre outras ações. O observatório astronômico do CTZ é disponibilizado gratuitamente para escolas e universidades realizarem pesquisas.

No mesmo local, está sendo construído um prédio em formato piramidal, que terá 63 metros de base por 63 metros de altura. A edificação terá espaço cultural com salas de cinema e museu, auditórios, salas tecnológicas e lojas comerciais.

 

Documentário Terra Convexa

Em março deste ano, o Dakila Pesquisas lançou mundialmente, em 13 idiomas, o longa-metragem Terra Convexa: O Documentário. A obra cinematográfica revela experimentos científicos realizados ao longo de sete anos que comprovam que a Terra não é esférica e sim plana nas águas e convexa nos continentes. O documentário já foi assistido por mais de 80 milhões de pessoas.

Os estudos foram feitos em diferentes pontos no mundo, com acompanhamento de instituições governamentais e de profissionais de vários segmentos do Brasil e de outros países, como astrônomos, cartógrafos, geólogos, topógrafos e engenheiros civis.

Utilizando equipamentos de última geração, foram realizados sete experimentos científicos: geodésico, que consiste em medir dois prédios com ampla distância, tendo como referência o nível do mar; experimento a laser para verificar a planicidade das águas; nivelamento das águas; Distorções óticas relacionadas a processos reflexivos; experimento de barcos na linha do horizonte; experimentos da gravidade e dos corpos celestes.

Em reconhecimento à importância dos experimentos científicos, os pesquisadores e cientistas do Dakila Pesquisas foram condecorados pela Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz, na Câmara Municipal de São Paulo (SP), no último mês de junho.

“Após a divulgação do documentário, o número de visitantes na nossa sede triplicou. Recebemos cientistas, pesquisadores, docentes e curiosos de todo o mundo”, comenta Oliveira.

Foto:Arquivo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here