Alcoolismo tem cura? Saiba como ajudar quem sofre da doença

Quando a cervejinha depois do trabalho vira rotina e se estende para outros momentos, pode ser um sinal de dependência química. O alcoolismo é uma doença que afeta famílias por todo o Brasil e um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que 19,9 milhões de pessoas com mais de 18 anos consomem mais de quatro doses de álcool por dia.
A psicóloga especializada em dependência química pela USP, Vivian Weinz, explica que o alcoolismo não tem cura, mas pode ser controlado. “A recuperação precisa estar sempre em manutenção a partir do momento que o paciente entra em tratamento, porque a recaída pode se dar a qualquer tempo”, afirma.
Saiba como identificar os sintomas
O principal sintoma da dependência é a perda do controle e, normalmente, a pessoa só se dá conta quando o vício começa a afetar outras áreas da vida, como o trabalho, o controle financeiro e a relação familiar. “Só depois de muitas perdas importantes e significativas é que ele se dá conta de que precisa de um tratamento”, explica a psicóloga.
De acordo com a especialista, há também uma predisposição genética que facilita o desenvolvimento da doença. “Pessoas que têm antecedentes históricos na família e não prestam atenção aos hábitos, podem desencadear uma dependência”, diz Weinz.

Como ajudar quem sofre da doença

Se engana quem pensa que o alcoolismo é um problema apenas de quem sofre com a doença. Também é importante que os familiares procurem ajuda, sobretudo psicológica, para que seja possível apoiar o ente adoecido. “Em uma casa onde há um dependente químico, a família também se descontrola”, explica a psicóloga.

R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here