“Temos aqui além das minhas, as mãos de Nelsinho Trad e Alcides Bernal, para tornar real o Reviva Centro”, destaca Marquinhos Trad

Foto : Cris Gomes

Prefeitura de Campo Grande realiza evento de assinatura do termo de autorização da obra Reviva Centro que terá duração de 22 meses, contando desta terça-feira (15-05), realizado no canteiro da Avenida Fernando Côrrea da Costa, com a Rua 14 de Julho. O Procedimento a ser realizado no Centro da Capital foi anunciado com reconhecimento da atuação de ex-prefeitos, participação de demais parlamentares e competência dos envolvidos na busca por tornar Campo Grande uma cidade melhor.

Durante seu discurso na assinatura de autorização para o início das obras que irão beneficiar a Rua 14 de Julho, da Av. Fernando Côrrea da Costa até a Avenida Mato Grosso . Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, destacou a dedicação dos ex-prefeitos Nelsinho Trad e Alcides Bernal, para a liberação dos R$ 49,2 milhões de reais, que serão investidos ao longo dos 22 meses de obra no centro da cidade.

Além de relembrar da participação dos dois ex-prefeitos da Capital, Marquinhos Trad ressaltou também ações de deputados, senadores e ex-gestores que ao longo dos nove anos, não deixaram de medir esforços para que se tornasse real o destravamento do projeto e o financiamento pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Segundo Marquinhos Trad, “Liguei para o Nelsinho e para o Bernal, para que viessem junto comigo para este evento, porque sei da importância que os dois tiveram nessa luta. Essa não é uma obra do Marquinhos Trad, essa é uma obra de Campo Grande, para a população de Campo Grande. Eu acredito que foi uma dádiva de Deus ela ter sido liberada na minha gestão. Quero que Campo Grande seja reconhecida pelo centro comercial a céu aberto, que em muitos países quando os turistas vão conhecer, eles se encantem e além de indicar, pensem em voltar aqui para desfrutar não apenas desse local, como dos diversos locais de diversão e atração turística que podemos oferecer. Que Campo Grande não seja mais apenas um local de passagem e sim de estadia dos turistas que vem conhecer o nosso Pantanal e outras cidades do interior como Bonito”, destaca prefeito.

Para o Senador Pedro Chaves, “Eu fui procurado pela Catiana Sabadin, quando ainda fazia parte da gestão Alcides Bernal, foi quando ela me apresentou o projeto e começamos a trabalhar em cima dele. Depois que o Bernal saiu o projeto ficou parado no Ministério da Fazenda, e quando eu me tornei Senador, voltei a ser procurado pela Catiana e foi quando me dirigi até o Ministério da Fazenda e recomecei a buscar o destravamento dos R$ 56 milhões com o banco. Fui relator do projeto para a liberação do financiamento no Senado Federal, e só depois de toda a reestruturação do projeto e da reapresentação dele é que conseguimos a liberação. Não adianta um projeto ser perfeito se não houver viabilidade política”, diz Pedro Chaves.

A diretora-executiva de Projetos Estratégicos, Catiana Sabadin destacou o fato de que o centro da cidade já foi um cemitério, e por isso, um arqueólogo acompanhará os trabalhos que serão realizados próximo a Praça Ary Coelho. “Além disso, algumas vagas de estacionamento serão retiradas da rua 14 de julho, porém no quadrilátero que abrange a região, não iremos realizar essas retiradas, pois a população precisa de locais para estacionar. Porém, estamos realizando o estudo de projeto para estacionamentos verticais, para suprir a demanda que já se faz necessária de estacionamentos no centro da cidade e aumentar a possibilidade de vagas a população”, aponta Sabadin.

São 14 quadras de intervenção, atingindo aproximadamente 1,4km de extensão. Segundo o presidente da Associação Comercial de Campo Grande, João Carlos Polidoro da Silva, “Já conversamos com os comerciantes e empresários da região, e todos estão preparados para ter em torno de 3 meses de prejuízo, o que será necessário para realizar a obra a cada duas quadras aproximadamente. Porém estaremos dando todo o suporte necessário ao comércio local e caso seja necessário estenderemos o horário de funcionamento do Centro da Cidade, para que esses comerciantes não sejam tão prejudicados”, diz presidente.

A primeira etapa do projeto mudanças na fiação elétrica, drenagem, pavimentação, calçada, paisagismo e mobiliário. A proposta inclui ainda alteração nas redes de distribuição de água, gás e coleta de esgoto, assim como acessibilidade, sinalização viária, iluminação e paisagismo. Histórico relógio da Rua 14 de Julho com Avenida Afonso Pena também deve voltar.

O evento contou com a presença do Secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, representando o Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; Deputado Lidio Lopes, representando a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul; Vereador Chiquinho Telles, representando a Câmara Municipal de Campo Grande; Secretário de Infraestrutura e Segurança Pública Rudi Fiorese, Senador Pedro Chaves, Secretario Municipal de Governo e Relações Institucionais, Antônio Cézar Lacerda Alves; Vereadores de Campo Grande e demais autoridades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *