Em entrevista exclusiva à Rádio Diamante FM, ao programa “Bronca do Eli”, do jornalista Eli Sousa, Deputado Estadual Paulo Siufi, fala sobre sua gestão e eleição 2018.

“Aqueles que souberam trabalhar com ética, a favor do povo e não de um governo, pode ter certeza de que os frutos serão colhidos no dia 07 de outubro. Eu quando eleito e assumindo a Assembleia Legislativa, tive o compromisso de atender a população, por isso me coloquei diversas vezes contra o governo e vou continuar me colocando, porque eu vejo o bem comum e não o bem de um governo”, diz Paulo Siufi.

“A Assembleia é a Casa do Povo e deve receber o povo, temos a obrigatoriedade de ouvi-los, você pode até votar de acordo com a sua consciência, ali é o parlamento e devemos ouvir a população. Nós tivemos ano passado embates que foram até desagradáveis, onde pessoas foram até retiradas do plenário, agredidas segundo elas, isso está até em investigação. Ouve uma invasão de pessoas que foram impedidas de entrar, em busca dos seus direitos, porque ninguém quer perder seus benefícios, seus direitos, por isso votei contra o Estado de Mato Grosso do Sul e a favor do servidor público, votei com a minha consciência e votarei quantas vezes for a favor daqueles que com o seu trabalho, seu labor, ajudam para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, enfatiza.

Com relação ao evento do MDB ocorrido na cidade de Aquidauana, “estive lá com o pré-candidato ao governo André Puccinelli, que foi bem recebido e, diga-se de passagem, foi ovacionado também em Corumbá, com a presença do nosso companheiro Paulo Duarte. Temos uma comitiva de sucesso que está ouvindo a população e onde muitos diziam que André Puccinelli não ouvia as pessoas e tinha um estopim curto, e estão percebendo que não é verdade”.

Deputado é questionado sobre ponte em Coxim, a qual população alega que está há mais de 6 meses sem possibilidade de passagem, e os munícipes dizem estar atravessando a nado, parlamentar diz que, “As pessoas que tem vidraça não deveriam jogar pedra na janela dos outros, eu vou com certeza defender a população de Coxim, São Gabriel do Oeste e região. Dizer que a população está atravessando a nado é a mesma coisa que dizer que vai nadar, nadar, nadar e não sair do lugar. Dizer que é problema de outra gestão, pede pra fazer perícia, pede pra analisar, visto que a última campanha para a prefeitura de Campo Grande, começaram a falar mal do prefeito, da vida dele, e eu já disse isso dentro do MDB, não vou tolerar essas inverdades, não vou deixar de falar aquilo que eu tiver que falar, tenho a tribuna da Assembleia até dezembro para falar sobre as inverdades. Se houver alguma culpabilidade do governador André Puccinelli vamos dar a mão a palmatória, senão, eu não vou tolerar inverdades e vou usar a tribuna para falar sobre isso”, destaca.

“Se fala muito de obras inacabadas que ao longo dos anos se creditou ao ex-governador André Puccinelli, vamos pegar a obra do Aquário, dizem que está inacabada, o André deixou dinheiro em caixa para terminar. A auditoria do TCE disse o que tinha e o que não tinha quando o governo dele acabou, eu acredito que no TCE tenham homens sérios que não mentiriam quanto ao relatório entregue para o ex-governador. Essa obra irá injetar dinheiro no comércio, no turismo, e só não irá desenvolver se houver pessoas que não quiserem que o Mato Grosso do Sul se desenvolva. Assim como a antiga rodoviária, onde a Cineartes que o Nelsinho tinha programado e depois quem assumiu não deu continuidade. As pessoas querem de uma forma emblemática dizer que as obras começaram e não terminaram. O nosso candidato André Puccinelli terminará sim todas as obras inacabadas, a duplicação da obra do Detran até Rochedo é importante sim. Parece que agora resolveram investir nas obras e isso tem custos nas urnas e nós vamos conferir no dia 07 de outubro”.

“Quando nós presidimos a CPI do Calote, e tinha que chamar assim porque ele não pagava os fornecedores, nós constatamos 9 crimes político – administrativos, encerramos a CPI e e então encaminhamos a presidência de onde saiu a Comissão Processante, eu não fiz parte, os que fizeram, fizeram com competência, idoneidade, e dos 29, 23 vereadores votaram a favor da cassação do ex-prefeito Alcides Bernal, que não fez nada por Campo Grande, só prometeu. Depois ele volta, cassado legitimamente pelos vereadores que representam a população, fala inverdades, cria monstros, como se uma idosa pudesse carregar uma mala com R$ 23 milhões de reais. Mas ele não viu, ele ouviu dizer, e o Ministério Público abriu investigação contra os vereadores, alguns não apareceram por estarem protegidos pelo governo, e eu fui absolvido por unanimidade, 9 a 0, porque eu nunca fiz nada que fugisse da verdade. Sou Médico Pediatra e estou deputado estadual, poderia falar assim, que com a história toda do GAECO eu iria perder a  minha clientela, mas o meu consultório tá cheio, os meus pacientes aumentaram. Eu aprendi com o meu finado pai que você sobe um prédio de três andares somente, com um travesseiro de pena e deixa todas as penas voarem, depois você se arrepende, desce e fala que vai catar as penas e você vê que não consegue mais. Edil Albuquerque, Jamal Salem, Otávio Trad, que tinham uma votação e caíram, e quase não nos elegemos, mas a justiça mostrou a verdade e os homens honrados não vão deixar barato”, conclui.