Levantamento do Procon/MS ( Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor), divulgado na quinta-feira (11) mostra que os preços variam 386% em estabelecimentos de ensino de Campo Grande. Foram verificados valores de 41 escolas de 6 de novembro a 5 de dezembro do ano passado.

Segundo superintendente do Procon, Marcelo Salomão, foram enviados questionários para todas as escolas particulares, mas nem todas responderam. O levantamento comparou os preços conforme o nível (Fundamental I e II e Médio), o tempo (meio período, intermediário ou integral) e turno (matutino e vespertino). A maior variação foi verificada no período matutino para o 1º ano, de R$ 240 (Colégio Vida e Luz) a R$ 1.167,00 (Escola Máxima).

Considerando todos as variáveis (nível, tempo e turno), a escola que lidera o ranking com preços menores entre as que responderam o questionário do Procon é o Paulo de Tarso (nove valores abaixo das demais) e a que têm quantidade de os valores mais altos é a Colégio Harmonia (12 preços acima das outras).

Salomão nota que o consumidor não deve apenas considerar os preços, mas também a proposta pedagógica da escola entre outros diferenciais. “É preciso verificar o custo e a qualidade”, resumiu.

Ele também disse que o mercado é livre para praticar seus preços. “Isso não significa que vão cobrar as mensalidades de forma indiscriminada”, ponderou. O superintendente explica que os valores devem ser justificados em planilhas de custo e são considerados abusivos quando estão acima do que foi discriminado nessas planilhas. De acordo com Salomão, isso é determinado no Decreto Federal 3.274.

O Procon Estadual disponibiliza o número 151 e o Fale Conosco do site www.procon.ms.gov.br aos consumidores para informações e denúncias.