Felipe quer a desativação de barragens no MS, seguindo o que a Vale anunciou para MG

Deputado estadual Felipe Orro _ Assessoria

Em pronunciamento da tribuna na Assembleia, durante a manhã de terça-feira (05), o deputado Felipe Orro (PSDB) foi categórico ao dizer que acionará as empresas Vale S.A. e Vetorial Mineração (ambas em Corumbá), por meio de ofício, exigindo o descomissionamento de todas as barragens com rejeitos de minério classificadas de risco, localizadas em Mato Grosso do Sul, seguindo tratamento idêntico anunciado para Minas Gerais.

“Nós esperamos que essas barragens sigam todas as normas de segurança para que não ocorram desastres em Corumbá. Conforme as duas empresas, temos informação de que todas as barragens são de baixo risco. Mas também sabemos que elas têm alto potencial destrutivo devido a região que estão localizadas”, disse.

Do microfone de apartes, o deputado Pedro Kemp (PT) parabenizou Felipe por ter visitado Corumbá em preocupação com a situação das barragens, “como disse vossa excelência, um desastre ali poderia ser de uma proporção incalculável para o meio ambiente e para as pessoas que moram ali naquela região”.

Kemp reforçou ao deputado sobre o requerimento apresentado em sessão, convocando o secretário do Meio Ambiente para prestar alguns esclarecimentos, “Queremos saber quais as providências que o Estado vem tomando para garantir a segurança destas barragens”.

Em outra observação, o também deputado Evander Vendramini (PP), reiterou que esta questão é um problema que de fato, incomoda e mexe com toda a população, especialmente naquela região do Urucum em Corumbá, e sugeriu que se crie uma comissão para acompanhar de forma efetiva, as atividades de mineradoras no Estado.

“Acho primordial que se faça uma análise; tão importante realmente o assunto levantado por vossa excelência [Felipe Orro], e que a gente consiga fazer uma comissão e acompanhar. O Ibama durante muito tempo tem se ligado a pequenas questão e sendo omisso nas questões grandes”, critica Vendramini.

Durante o recesso parlamentar, Felipe – na qualidade de vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia – acompanhou equipe de fiscalização liderada pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) a Corumbá, em reuniões com representantes das empresas mineradoras e vistorias nas barragens localizadas no complexo mineral do Urucum.  No local existem nove estruturas de contenção de dejetos de mineração, sendo que sete são da Vale e duas operadas pela Vetorial.

Relembrando as tragédias de Mariana (2015) e Brumadinho, ocorrida recentemente, ambas cidades de Minas Gerais, Felipe foi enfático ao afirmar que “o risco deve ser zero para as vidas das pessoas que moram em áreas próximas às barragens e principalmente para o Pantanal”.

O agravante da barragem do Gregório, mantida pela Vale, é o poder destrutivo em caso de um acidente, classificada pela Agência Nacional de Mineração como uma instalação de Dano Potencial Associado (DPA) alto. Além do mais, a barragem é construída à montante, mesmo modelo de aterramento utilizado nas barragens de Mariana e Brumadinho, que se romperam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here