A Fiems e a Superintendência Regional do Trabalho lançam, nesta segunda-feira (10/4), às 8 horas, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho para sensibilizar a sociedade sobre a importância de uma cultura de precaução a imprevistos e doenças nas atividades laborais. O evento será aberto pelo presidente da Fiems, Sérgio Longen, e pelo superintendente regional do Trabalho no Estado, Vladimir Benedito Struck.

Neste ano, a inciativa tem como lema “Conhecer para Prevenir” e o envolvimento de cada cidadão brasileiro é essencial. Conhecida como “Abril Verde”, a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho será encerrada no próximo dia 28 de abril, que é o Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho e Dia Nacional em Memória às Vítimas de Acidentes do Trabalho.

Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu essa data, que foi estabelecida em decorrência de uma explosão em uma mina de carvão na cidade de Farmington, no Estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969, que vitimou 78 trabalhadores. Em 2005, por meio da Lei nº 11.121/2005, foi estabelecido pelo Brasil, para a mesma data, o Dia Nacional em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho.

Gastos com acidentes do trabalho

Além das perdas de vidas, esses acidentes e doenças resultam também em afastamentos e diminuição da capacidade produtiva, com consequências que extrapolam o ambiente do trabalho. Dados oficiais registraram, nos últimos cinco anos, uma média de 710 mil acidentes do trabalho por ano no Brasil.

Destes, 2,8 mil resultaram em morte, 1,5 mil em sequelas permanentes, além de serem contabilizados mais de 7 milhões de dias de trabalho perdidos a cada ano. Esses acidentes geram despesas em torno de R$ 11 bilhões por ano apenas para a Previdência Social.

Estão de fora dessa conta os acidentes não notificados e os eventos envolvendo trabalhadores autônomos, informais, servidores públicos e empregados domésticos. Também não são contabilizados nesses números os gastos com tratamento de saúde, perda de produtividade e indenizações, entre outros. Ao incluir esses custos, a cifra pode alcançar, segundo a OIT, 4% do PIB, ou seja, mais de R$ 200 bilhões por ano.

Serviço – O Edifício Casa da Indústria fica na Avenida Afonso Pena, 1.206, Bairro Amambaí, em Campo Grande (MS), e os empresários interessados podem confirmar presença pelo telefone (67) 3389-9091 ou email eventos@sfiems.com.br