Odilon de Oliveira afirma filiação ao PDT para concorrer às eleições 2018

Em entrevista exclusiva à Rádio Diamante FM, ao jornalista Eli Souza, do Grupo Impacto MS de Comunicação, Odilon de Oliveira, migrou com sua família para o então Mato Grosso em 1953. Trabalhou na roça até os 17 anos, tendo sido alfabetizado em casa. Formou-se em direito em 1978, aos 29 anos. Tornou-se juiz federal em 1987, fala sobre a sua carreira, filiação partidária e a candidatura para as eleições 2018.

“Todos nós temos um trabalho que exige muito de nós, principalmente quando representamos a sociedade, eu tenho segurança pessoal há 20 anos. O que deve marcar o serviço público é a transparência e a lisura, então vale a pena qualquer servidor exercer a sua função com dignidade”, destaca Odilon de Oliveira.

Após praticamente 40 anos de trabalho em serviço público, Odilon de Oliveira destaca que a intenção de se aposentar deu-se pela idade e pela necessidade de realizar trabalhos que pudessem beneficiar diretamente a sociedade. Com relação ao documentário “Expressão da Verdade”, deve ser divulgado em cadeia nacional ou internacional, provavelmente lançado no mês de Abril.

“O trabalho do servidor público é em cima de alicerces morais e éticos que chamam atenção, fiquei conhecido no país inteiro e no mundo em razão do trabalho. Cumpri o meu dever e o dever da justiça”, aponta Odilon de Oliveira.

Com relação às eleições 2018, Odilon de Oliveira diz que reconhecimento da população com relação aos trabalhos realizados ao longo da carreira, chamaram atenção para que se candidatasse as eleições 2018. “A população já não aguenta mais e quer mudanças. A mudança depende das pessoas, o povo tem que mudar, olhando o comportamento e a postura dos administradores. O povo tem que ter crença, fé, cada administrador e servidor público tem que fomentar essas duas coisas na população. Temos que construir no Estado e no Brasil um laço ético e depois montar e executar o projeto de atuação nas áreas políticas” enfatiza.

“É possível realizar uma gestão eficaz sem propina, sem proposta indecorosa. Eu nunca recebi nada do tipo, primeiro as pessoas fazem sondagens e verificam se é possível fazer a proposta. É possível se eleger através de uma coligação, mas você não vai trabalhar sozinho, e você tem o dever de fazer um trabalho sério” aponta Odilon.

Ainda sem partido, Odilon de Oliveira afirma que o PDT foi o primeiro a procurá-lo e a não ser que exista alguma mudança de percurso, este será o partido ao qual irá se filiar, no próximo dia 11 de novembro.

Sobre as reivindicações da população “eu viajo muito para dar palestras e a população tem reclamado sobre a área da corrupção, o Brasil tem que tomar outro rumo, e a outra reclamação é com relação à Saúde, um Caos que assola o País todo, são problemas sociais que são os mais reivindicados pela população”, afirma.

A Polícia Federal tem prestado um serviço muito relevante ao país, “ a PF é a mais estruturada do país, quando se fala em fronteira se pensa em droga, porém temos que pensar em segurança pública, aproximadamente 50% da violência urbana existe por causa de drogas e armas que passam pela fronteira. A PF não cuida a contento da fronteira porque não tem estrutura. A faixa de fronteira corresponde a 29,8% do território nacional,são 117 km de extensão, temos apenas 13% de todo contingente na faixa de fronteira”, enfatiza.

“Eu não posso declarar oficialmente que sou pré-candidato, uma vez que não estou filiado a nenhum partido político, mas a minha vontade é me filiar e me colocar a disposição para Senado ou Governo Estadual, isso ainda não está decidido. A partir de agora solicito a população que faça um exame sobre os feitos do passado, e se manifestem através dos órgãos de comunicação. A imprensa tem sido fundamental, se você pega a Lava Jato, muitos casos quem levanta é a imprensa, mas o papel dela não está só nisso. Está na fiscalização, acompanhando”, conclui Odilon de Oliveira.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *