Secretário buscou solução junto a instituição financeira para atender os ex-servidores

O secretário de Planejamento e Finanças (Seplanfic), Pedro Pedrossian Neto, buscou uma solução para a dificuldade dos trabalhadores da Seleta que prestavam serviços para a prefeitura, que não conseguiram receber nesta segunda-feira (14), por conta de um problema técnico de informática da agência bancária. Apenas 40, dos mais de 900 trabalhadores, fizeram o saque.

Como forma de tratativa do problema, o secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, se reuniu com representantes do banco responsável e definiu que os trabalhadores deverão se dirigir a uma agência bancária, a partir das 11 horas, munidos de documento com foto, para realizar o saque na boca do caixa.

Pedro Pedrossian Neto esclarece que a Justiça havia determinado os salários dos trabalhadores da Omep e da Seleta fossem pagos até a última sexta-feira (11). Entretanto a Seleta não passou a relação dos nomes dos trabalhadores para o banco gerar o pagamento, sendo necessário fazer a listagem.

De acordo com o secretário Pedro Pedrossian Neto,“A determinação judicial foi que nos pagássemos na sexta-feira. Na sexta conseguimos pagar todo mundo da OMEP. No caso da Seleta, conseguimos pagar as pessoas que tinham conta corrente. Já quem tinha conta-salário, como a conta fica vinculada ao CNPJ da empresa e a decisão judicial proibiu que depositássemos na conta deles”, destaca.

Segundo a Diretora-financeira da Sefin, Tânia Bazo, a solução definida pela instituição financeira foi, uma parceria entre a Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação (Agetec) e o banco Bradesco para gerar um arquivo com o nome de todos os trabalhadores que tinham direito a receber. Ainda segundo a diretora-financeira,“Fizemos uma força-tarefa com a Agetec e com o Bradesco. O banco só libera o dinheiro por meio de arquivo, e como a Seleta não nos deu esse arquivo a Agetec foi lá e gerou um. Foram feitos vários testes até conseguir um formato que caísse na conta das pessoas”, afirma Bazo.

Com isso, o secretário Pedro Pedrossian Neto, enfatiza que, “as rescisões começam a cair na conta dos trabalhadores no dia 22 de agosto. As primeiras rescisões serão pagas às mulheres grávidas e as de menor valor, até R$ 5 mil”, conclui.