Presidente da OAB-MS destaca trabalho realizado pelo órgão e ressalta os 86 anos de história da entidade

Em entrevista exclusiva à Rádio Diamante FM, ao programa “A Bronca do Eli”, com o Jornalista Eli Sousa, Dr. Mansour Karmouche, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – MS fala sobre o trabalho realizado no órgão.

“Temos uma entidade muito forte que tem mais de 86 anos de história no Brasil, e que realmente ela precisava ser inserida novamente no contexto da sociedade Sul – Matogrossense, e esse protagonismo nós conseguimos atingir nos unindo com toda a sociedade civil organizada, grandes entidades também que fazem parte dessa rede que são a Famasul, Fiems, Fecomércio, Faems, Associação Comercial, Amas, varias entidades que nos dão suporte para que possamos fazer ações voltadas à sociedade visando o bem-estar, aprimorando instituições, questionar ações realizadas pelos administradores, prefeito, governador, como fiscalização de tarifas, taxa do lixo, ICMS, iluminação pública, Plano diretor de Campo Grande, que precisa ser repensado no molde que a população quer, etc .Então buscamos levar os questionamentos de toda a sociedade, para que possamos fazer uma cidade e um Estado como a população merece”, aponta presidente da OAB-MS.

Com relação ao contrato entre a Prefeitura Municipal de Campo Grande e a Solurb para a coleta de lixo, Dr. Mansour Karmouche destaca que, “Já está sendo analisado judicialmente esse contrato, então questões desse tipo nós evitamos comentar e nos envolver. Quando não estão ainda no âmbito judicial nós nos envolvemos, como o caso da paralisação da duplicação da BR – 163, onde no Paraná viu-se que havia pagamento de propina, favorecendo alguns grupos e onde a reclamação também é sobre o alto valor de pedágio que a população seria obrigada a pagar”, diz.

Ao ser questionado com relação as bandeiras defendidas pela Ordem, “Sim, junto com o Comitê de Mobilização da Crise exigimos que os nossos governantes se mobilizassem pra fazer a sua parte e a sociedade exigiu que o Estado voltasse a ser competitivo. Eu disse em uma entrevista recente que é inadmissível o Estado querer se aproveitar de uma situação pela qual a população está passando, tem que ser um Estado de oportunidades, não de oportunistas. Ontem, iniciamos junto a comissão de direito do consumidor, uma rede com todos os diretores de PROCON estadual e municipal, para acompanhar se realmente esse desconto que sabemos que será jogado nas costas do consumidor, o qual ainda não chegou o valor de desconto a população, irá chegar, porém, os donos de postos alegam que o produto na bomba é anterior a assinatura do desconto. Estamos acompanhando de perto e se for o caso pedindo abertura de processo contra economia popular. Não podemos admitir em momento de crise, que algo que está afetando a população seja aproveitado por oportunistas”, destaca Karmouche.

Com a redução do preço do Diesel, a passagem de transporte público tem levantado discussão sobre o provável aumento da tarifa, “O Ministério Público deve estar atento a essa situação, porque o aumento da tarifa é inoportuno, a redução do Diesel deveria também atingir a redução da tarifa e não o aumento. Não podemos deixar ser repassado a população essa cobrança. A Prefeitura, Ministério Público, Câmara Municipal devem ficar atentos a essa situação”, aponta.

A violência sexual teve em 5 meses o registro de 605 casos, “Nós tivemos no mês passado a primeira conferência da mulher advogada, e nós trouxemos nada menos que a própria Maria da Penha, que tem uma história de vida belíssima e não digo isso por conta da dificuldade que ela passou, mas pela coragem dela em contar a sua história não só para o Brasil como para o Mundo, então a Maria da Penha é para nós um símbolo de coragem e resistência contra a violência contra a mulher. Nós não podemos mais admitir que ainda existam pessoas que não tem consciência de que não se agride pessoas, ainda mais uma mulher que não deveria jamais ser vítima de violência doméstica. Tivemos um evento no Diamond Hall com mais de 3200 pessoas, entre elas o Governador Reinaldo Azambuja, Prefeito Marcos Trad, Carla Stephanini, Luciana Azambuja, agradeço a elas publicamente, porque fazem um bom trabalho referente a violência contra a mulher. Nós sempre temos pedido um rigor nas investigações e enrijecimento na Lei para aqueles homens que cometem esse tipo de crime”, destaca.

A política realizada pela OAB-MS é Social, “Não temos ligação política e nem com nenhuma entidade, somos receptores de denúncia e fiscalização contra aqueles que não querem cumprir o que é benefício para a sociedade’, pontua.

“A OAB é uma das entidades que mais autua, a Lei da Ficha Limpa foi uma ação popular e quando chegou a OAB ela tomou conta e foi aprovada no processo, solicitamos o Impeachment da Presidente Dilma, do Michel Temer, do então deputado Eduardo Cunha, e vários outros políticos, para que tomassem frente a atividade para reprimir o crime organizado e a política no nosso país”.

“É lamentável que algumas situações se arrastem, próximo a uma eleição, é a primeira vez na história do Brasil que se quebra um sigilo telefônico de um presidente, mas acho que ela se arrasta, não tem condições de ter um candidato lá da presidência da república, mas que ao menos se entregue o País de uma forma melhor para o próximo presidente. Temos que apoiar o Estado Democrático de Direito, que entrem pessoas que representem os Brasileiros, não grupos econômicos e políticos que defendam interesses de grupos e não da população”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *