Secretaria trabalha para promover e desenvolver os direitos dos negros.

0
2

Criadas na atual gestão, a Subsecretaria dos Direitos Humanos, por meio da Coordenadoria de Igualdade Racial, está trabalhando em parceria com as secretarias de Saúde, Assistência Social, Educação, Políticas Públicas para as Mulheres e para a Juventude para promover e desenvolver os direitos dos negros.

Nesta terça-feira (21), durante evento em alusão ao “Dia Internacional da Eliminação da Discriminação Racial”, o prefeito Marquinhos Trad falou da importância de se lembrar a data e trabalhar para promover a igualdade entre todos.28

“Que este seja um momento de reflexão para que cada um veja a importância deste ato. O município mostrou sua grandeza e está trabalhando com todos para promover a igualdade. Temos aqui representantes da assistência social, da educação, das mulheres, das pessoas com deficiência, e não por acaso, boa parte da administração está aqui. Isso é muito importante para nós”, afirmou o prefeito Marquinhos Trad.

O trabalho tem por objetivo promover políticas públicas para a comunidade negra e tirá-la de duras estatísticas. Apesar de a maioria da população do país se declarar negra, 53,6% (Censo IBGE) continua entre os que menos estudam, os que menos ganham, e os que mais compõem a população carcerária do país.

Em 2013, a população branca tinha 8,8 anos de estudo em média, já a negra, 7,2 anos. A renda dos negros é 40% menor que a dos brancos. Mulheres negras são mais atingidas pelo desemprego. Entre as brancas, o desemprego é de 9,2%, enquanto entre as mulheres negras, ultrapassa os 12%.

Diante de números tão difíceis é mais que essencial trabalhar para mudar a realidade. Subsecretário dos Direitos Humanos, Ademar Vieira Júnior revelou que o evento é apenas o inicio de uma série de atividades que a subsecretaria vai promover.

“Vamos visitar as comunidades, buscar parcerias, seja com as secretarias municipais e estaduais, para efetivar as políticas públicas para as comunidades tradicionais”, afirmou Ademar Vieira Júnior.

Complementando a fala do subsecretário, a coordenadora de Igualdade Racial, Rosana Anunciação, disse que na atual gestão as políticas vão ser trabalhadas para saírem do papel e começarem a se efetivar.

“Não queremos apenas estar na lei. Queremos que estas leis, decretos sejam cumpridos, que sejamos realmente contemplados”, afirmou Rosana Anunciação.

Para isso, a Secretaria Municipal de Educação já está trabalhando a Lei 10.639/2003, que estabelece as diretrizes de bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”.

Com isso, os estabelecimentos de ensino da Reme, do ensino fundamental ao EJA, passam a ensinar história e cultura afro-brasileira, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à história.

Para a técnica da Divisão de educação e Diversidade, Silvia Cristina Soares Paixão, este é o início da mudança que se quer promover.

“Queremos que estes temas sejam trabalhados o ano inteiro, que o negro conheça sua história e se orgulhe de ser o que é. Até a última sexta-feira (17), havia 100.180 alunos matriculados na Reme e 54.233 se declararam negros. Então, é mais que importante se trabalhar a cultura negra nas escolas diariamente”, afirmou.

Para finalizar, o ex-magistrado e militante dos Direitos Humanos, Aleixo Paraguassú, disse ver esperança neste novo governo. “Temos agora a esperança em uma administração que apoia a causa negra e trabalha para acabar com essa chaga que é a desigualdade racial. Queremos nos ver representados em todos os segmentos do poder. Queremos cumprimentá-lo (prefeito Marquinhos Trad) por todas as suas ações. Vemos aqui um grande estadista”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here