Em Mato Grosso do Sul, existem algumas leis que estabelecem prioridades para vacinação contra o vírus influenza H1N1. Na sessão dessa quarta-feira (8), o deputado estadual Dr. Paulo Siufi (PMDB) usou a tribuna para cobrar a aplicação da legislação e ressaltar a importância de vacinar os grupos que possuem maiores chances de contrair a doença e desenvolver complicações.

“Temos leis que beneficiam os profissionais de saúde e os pacientes que se submetem à hemodiálise, radioterapia, quimioterapia e os transplantados. Ainda são favorecidos os servidores da educação lotados nas unidades estaduais e aos agentes penitenciários. Em Campo Grande, os funcionários do Camelódromo, Ceasa [Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul], Feira Central e Mercado Municipal também constam na lista de prioridade. É necessária a aplicação destas normas para que não fiquem apenas no papel”, destacou o parlamentar.

Siufi chamou a atenção para os números de óbitos no ano passado. Em 2016, o vírus influenza H1N1 matou 1.982 pessoas no País. “Não podemos assistir mais mortes, esperamos que neste ano o Poder Público garanta a vacinação dos grupos prioritários”, concluiu.