Encontros marcam o início das atividades do projeto “Horticultura Agroecológica”

0
3

Ao longo de abril serão realizadas duas reuniões, uma em Ivinhema e outra em Dourados. Esses encontros marcam o início das atividades do projeto “Horticultura Agroecológica – da terra à mesa do consumidor no Estado de Mato Grosso do Sul (ProHorta)”. O ProHorta coordenado pela Embrapa Agropecuária Oeste, dentro de uma integração interinstitucional, pretende gerar soluções tecnológicas para a consolidação da produção agroecológica de hortaliças nas condições de Mato Grosso do Sul.

A primeira reunião de integração interinstitucional acontece na quinta-feira, 20 de abril, às 9hs, em Ivinhema, na Secretaria Municipal de Agricultura de Ivinhema. A segunda reunião, será realizada em Dourados, na quinta-feira, 27 de abril, às 9hs, na Secretaria Municipal de Dourados. “Esses encontros iniciais servirão para apresentar o projeto, fortalecer as parcerias (promover a aproximação entre os representantes das diferentes instituições) e identificar os produtores colaboradores para a instalação das Unidades de Referência (UR) do projeto”, explica o coordenador do projeto e pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Ivo de Sá Motta.

A estratégia de ação deste projeto prevê a pesquisa participativa, em que os agricultores tem uma participação ativa no processo de pesquisa e transferência de tecnologias. Para tanto, em cada comunidade trabalhada, será identificado e convidado um produtor experimentador (colaborador).

Ele explica que os produtores colaboradores que sediarão as Unidades de Referência (inicialmente uma em Dourados e outra em Ivinhema) serão os produtores multiplicadores das tecnologias. “Esses produtores, além do cuidado dedicado com as suas hortas no dia-a-dia da propriedade, precisam ser receptivos as novas tecnologias e receber outros produtores em suas propriedades para demonstrar e explicar o que as novas tecnologias trouxeram de impactos e benefícios para suas produções”, explica Ivo.

Outro ponto importante, destacado por Ivo, que a participação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e das Associações/Cooperativas de agricultores, é que desempenham um papel fundamental no avanço do projeto, por meio da participação dos Comitês Pró-Hortifruti. O projeto ProHorta foi aprovado junto ao Portifólio Sistemas de Base Ecológica, junto ao Macroprograma 6 da Embrapa que contempla o público da agricultura familiar.

“Os Comitês Pró-Hortifruti terão sua área de atuação nos municípios e serão constituídos por representantes das instituições: Agraer, Sepaf, Secretaria Municipal de Agricultura, Instituições de Ensino (UFGD, UEMS, IFMS e/ou Escolas Agrícolas) e Associações de Agricultores (APOMS e Associações/Cooperativas Locais de Agricultura Familiar), Embrapa Agropecuária Oeste e Embrapa Hortaliças, Sebrae e Senar.

Para Ivo, o projeto deverá no curto prazo contribuir com o fortalecimento do comércio direto local. “Espera-se contribuir com o desenvolvimento e a organização dos agricultores familiares e da produção em canais curtos (Feiras de Produtores, PAA, PNAE e cestas) assim como a consolidação do processo de certificação. Na medida que os produtores identificarem oportunidades e cultivos que se destacam na região, poderão ser viabilizadas opções para “exportação” para outras regiões”, conclui Ivo.

Dourados News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here