Interior

Funasa libera 1,4 mi para tratamento de esgoto em Mato Grosso do Sul

A universalização do saneamento básico, especificamente o tratamento de esgoto, é uma das metas da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para que a população tenha uma melhor qualidade de vida, contribuindo ainda para elevar o índice de desenvolvimento humano (IDH) das cidades de até 50 mil habitantes, visando também reduzir gastos públicos por meio da diminuição de doenças de veiculação hídrica e outros males causados pela ausência de saneamento.

Com esse objetivo, a Funasa, por meio da superintendência estadual de Mato Grosso do Sul (Suest/MS), liberou esta semana o montante em recursos na ordem de R$ 1.443.428,79 para obras de esgotamento sanitário para mais três municípios do estado para trabalhos na área de esgotamento sanitário.

Santa Rita do Pardo, município localizado na região leste do Estado a 211 km da capital Campo Grande, receberá o financiamento no valor R$ 340.000,00, referente à primeira parcela do TC 85/14, para ampliação do sistema de esgotamento sanitário com implantação de rede coletora de esgoto, ligações domiciliares, três estações elevatórias com capacidade variada e suas respectivas linhas de recalque, beneficiando dessa forma, 1.359 famílias do município. Este convênio tem a contrapartida do governo estadual.

Está à disposição do município de Alcinópolis, também, a primeira parcela do TC  87/14 no valor de R$ 432.731,38. Esse financiamento, que tem a contrapartida do estado de Mato Grosso do Sul, permitirá ao município realizar obras para ampliação do sistema de esgotamento sanitário com a implantação de 18.765,14 metros de rede coletora de esgoto, 1.759, 47 metros de interceptores e 835 ligações domiciliares que irão beneficiar uma população de 2.946 pessoas.

Já Rio Verde de Mato Grosso, localizado na região centro-norte de MS, a 170 km de Campo Grande, por meio do TC 083/14, recebe da Funasa um investimento na ordem de 671.697,41 para implantação de rede e esgotamento sanitário no bairro Campo Alegre, elevando por meio dessa ação a qualidade de vida de 808 famílias. Este convênio com a Fundação Nacional de Saúde tem contrapartida do município.

Para o superintendente Marco Aurélio Santullo, “essas liberações farão com que os municípios possam tratar seus esgotos, isso significa deixar seus habitantes livres de uma série de doenças”.  Segundo Santullo, “as liberações de verbas são esforços desta gestão junto à Presidência do órgão em Brasília e também da bancada federal para angariarem recursos a serem investidos no estado de Mato Grosso do Sul, visando sempre a melhoria da saúde pública“.