Foto: BelaVistaMS

O vereador Paulinho Pucheta (PR), de Caracol, teve seu mandato cassado pela Câmara do município por quebra de decoro parlamentar, o político é acusado de forjar o furto de seu próprio carro, numa tentativa de estelionato.

Conforme ação na Justiça contra o parlamentar, Paulinho Pucheta teria comparecido à Delegacia de Polícia do município de Jardim, em outubro de 2015, para comunicar que foi vítima de roubo de veículo.

A Polícia Civil de Jardim investigou o caso e concluiu que não houve roubo algum, e que o boletim de ocorrência foi forjado para que o parlamentar pudesse receber do seguro. O veículo foi encontrado um mês depois, na cidade de Bela Vista, também interior do Estado.

Um morador do município de Caracol encaminhou denúncia contra o vereador, a Câmara Municipal, a qual decidiu pela instauração de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar o caso.

As apurações realizadas pela CPI constataram que, o vereador Paulinho Pucheta prestou depoimento e alegou, entre outras coisas, que não houve tentativa de estelionato, uma vez que não acionou a seguradora após ter registrado o suposto furto.

Porém, o depoimento não foi registrado durante as investigações. De acordo com a CPI, os documentos da denúncia apontam que o vereador “mentiu, ludibriou e inventou os fatos, de modo que, houve o recebimento da denúncia pelo juízo da Comarca de Jardim”.

Ainda conforme relatos da comissão, Paulinho Pucheta é réu em processo em trâmite na comarca de Jardim. “Não se pode permitir, na atual quadra da história brasileira, um vereador réu”, diz a decisão da Comissão de Inquérito, assinada no início de junho.

Decreto assinado no último dia 19 de junho, pelo presidente da Câmara de Caracol, Douglas Lopes Vilalba, determina a perda e cassação do mandato de Paulinho. Em votação, Seis vereadores votaram a favor da cassação, e três contra.