Parlamentares pedem transparência na gestão da saúde pública

Deputados comentaram operação da Polícia Federal em Dourados

Com discursos por mais transparência na gestão dos recursos públicos, os deputados estaduais por Mato Grosso do Sul comentaram durante a sessão desta terça-feira (12) sobre a Operação Purificação, deflagrada pela Polícia Federal na manhã de hoje na Fundação de Serviços de Saúde de Dourados (Funsaud).

O deputado Marçal Filho (PSDB) foi quem subiu à tribuna para comentar a operação policial, que investigou crimes de estelionato, associação criminosa e fraudes em licitações. “Ainda não temos informações se há culpados ou inocentados, mas se milhões são repassados e a saúde está nessa preocupação, para onde está indo o dinheiro? O povo quer transparência”, afirmou.

O parlamentar exemplificou que com as redes sociais é possível dar mais publicidade às prestações de contas. “Em linguagem acessível dá para mostrar detalhadamente o quanto entrou, o quando foi usado para ‘isso e isso’, quais são as taxas e assim também o próprio gestor é preservado, pois está tudo lá às claras”, argumentou Marçal.

Para Neno Razuk (PTB) tudo será investigado. “Tem que ser esclarecido e se tiver qualquer irregularidade comprovada, o responsável deve ser punido. Todas as licitações são acompanhadas pelo Ministério Público Estadual e a Prefeitura de Dourados já me informou que está de portas abertas para apurar todos os fatos”, ressaltou.

Barbosinha (DEM) ressaltou que a gestão pública deve ser eficiente em todas as áreas, não só para a pasta da Saúde. “Porém devemos observar que a Saúde está em um caos nacional. O SUS [Sistema Único de Saúde] precisa ser revisto. Será mesmo que é falta de gestão? Ou falta de recursos? A questão é que pessoas morrem todos os dias por falta de atendimento e isso precisa ser apurado”, finalizou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here