Com abundância de rios e peixes, o Mato Grosso do Sul está prestes a se tornar o maior produtor em piscicultura do Brasil, com a abertura de licitação de áreas aquícolas em Selvíria (MS), divulgada nesta terça-feira (7/3) durante sessão na Assembleia Legislativa, pelo coordenador de Pesca e Agricultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), César Moura.

Segundo o coordenador, o projeto básico engloba a oferta de cinco áreas destinadas à implantação de projetos de piscicultura em tanques-redes, que totalizam 585 hectares com capacidade produtiva de até 112 mil toneladas de peixes por ano. “Atualmente a produção total do Estado gira em torno de 4 a 5 mil toneladas. Daremos um salto em produtividade. Hoje a piscicultura já faz a diferença na balança comercial”, explicou.

Os dados apresentados estimam receitas em R$ 425 milhões por ano, com criação de 3,4 mil empregos diretos e 13,6 mil indiretos, além da arrecadação R$ 107 mil por ano aos cofres da União, já que a concessão dos espaços de criação está prevista pelo período de 20 anos. A produção é permitida nas bacias dos rios Paraná e Paraguai.

“Faremos uma reorganização da piscicultura no Estado. Hoje somam cerca de 300 produtores de peixes e quase 8 mil pescadores profissionais. Pedimos ajuda dos deputados para que incentivem as prefeituras a enviarem projetos de piscicultura. Temos recursos, mas precisamos de empenho. Destinamos máquinas para a produção e muitos prefeitos fazem usos irregulares, em vez de produzir eles limpam córregos com elas, por exemplo. Pedimos que os deputados conscientizem o potencial que a produção de peixes traz para o Estado”, argumentou o coordenador César Moura.

Moura ocupou a tribuna a convite do deputado Eduardo Rocha (PMDB). O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Junior Mochi (PMDB) agradeceu a presença em nome de todos e afirmou que os deputados darão o apoio necessário. Mara Caseiro (PSDB) elogiou a iniciativa do MAPA.

Agência ALMS