Secretária de Três Lagoas é presa acusada de chefiar tráfico de drogas. O que vamos tolerar mais?

Em 5 de julho do ano passado, prefeito deu posse a Marisa Rocha como secretária, cinco anos antes a polícia encontrou 200 kg de maconha no sítio de parlamentar _ Foto de Arquivo

EDIVALDO BITENCOURT

O Jacaré

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial na Repressão ao Crime Organizado) prendeu, nesta Quarta-Feira de Cinzas (6), a secretária municipal de Esportes, Juventude e Lazer de Três Lagoas, Marisa Andrade Rocha, 57 anos. Ela é acusada de chefiar organização criminosa ligada ao tráfico de drogas.

A prisão de Marisa, que está quinto no mandato de vereadora e foi nomeada secretária pelo prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) em 5 de julho do ano passado, é o ápice dos escândalos envolvendo a classe política sul-mato-grossense.

A pergunta é: o que mais precisa acontecer para o eleitor entender que bandido é bandido e deve estar na cadeia? O sul-mato-grossense vem se mostrando tolerante a todo de crime, desde o desvio de recursos públicos até o pagamento milionário de propinas.

O caso da vereadora do PSB é estarrecedor. Em agosto de 2013, a polícia encontrou um fugitivo com 200 quilos de maconha no sítio de Marisa. Ela acabou condenada a um mês de prisão em regime aberto em 2016 pela juíza Janine Rodrigues, do 1º Juizado Especial Criminal.

Apesar da ligação com o tráfico de drogas, a socialista conquistou 961 votos e garantiu mais um mandato de vereadora em 2016. Em 2012, ela ficou em 2º lugar, com 1.496 votos. Quatro anos antes, Marisa obteve 1.733 votos (4º lugar).

A secretária três-lagoense que está recolhida ao xadrez _ Arquivo

Apesar de todas as suspeitas, ela foi empossada com honras e grande festa por Guerreiro, o atual prefeito de Três Lagoas.

O Gaeco pediu e a prisão preventiva da secretária foi decretada pela 2ª Vara Criminal de Três Lagoas. Ela foi detida e encaminhada para o presídio feminino da cidade, a terceira maior no Estado e com grande potencial com a chegada das megaindústrias de celulose e de fertilizantes da Petrobras.

De acordo com a Rádio Caçula, ela foi citada em outra operação policial no ano passado. Em janeiro, a Operação Themis prendeu três pessoas e cumpriu 17 mandados de busca e apreensão. Novamente, Marisa voltou a ser citada em envolvimento com o tráfico de drogas.

De acordo com o site, ela até estaria ameaçando uma promotora.

O prefeito ainda não se manifestou sobre a prisão preventiva de sua secretária municipal. A defesa da parlamentar licenciada também não se manifestou.

Em 5 de julho do ano passado, prefeito deu posse a Marisa Rocha como secretária, cinco anos antes a polícia encontrou 200 kg de maconha no sítio de parlamentar (Foto: Arquivo)

Caso semelhante ocorre em Água Clara, onde um oficial de Justiça foi afastado do cargo por supostamente pedir cocaína dentro do fórum. Ele é vereador e já foi acusado de promover festas regadas a bebidas alcoólicas a menores de idade.

Para construirmos um país civilizado e decente, políticos suspeitos de crimes gravíssimos, de corrupção ao tráfico de drogas, devem ser afastados imediatamente e a Justiça deveria agilizar o andamento do processo para iniciar a reconstrução com novos valores.

O ideal seria o acusado confessar a verdade, mas, neste caso, já seria exigir muito da classe política. Até quando vamos achar isso tudo normal?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here